sábado, 26 de setembro de 2015

SINT MAARTEN / SAINT MARTIN



Movimentada, cheia de casinos, estradinhas, trânsito, sol delicioso, praia de nudismo, transatlânticos, dois países numa ilha; assim é Sint Maarten/ Saint Martin.


Vento gostoso, Sol o ano todo, noites agradáveis.
Praias de águas calmas para prática de skysurf, windsurf, stand up paddle, snorkel.
Água azulzinha, areia branca, povo alegre e comida maravilhosa. 
Destino perfeito.


Alem de tudo isso: ainda é Duty Free.
Do lado holandês, Phillipsburg é o centro comercial cheio de joalherias, lojas de eletrônicos, relógios, bebidas, bares alegres e restaurantes simplezinhos. Alem de muita gente. 
É onde chegam os navios, com milhares de turistas, cada um com 2000, 3000 passageiros. O movimento nas lojas é gigante.
No final da tarde um sossego, e um por do Sol lindo.
Vida noturna animada, por conta dos inúmeros casinos em Cupcoy.


Do lado francês a marina Royalle, muito bem protegida, minúscula, lotada de iates lindos, silêncio e restaurantes charmosos com comida boa e atendimento francês. Também tem lojinhas, algumas grifes, farmácias de cosméticos, uma feira de artesanato, um pequeno shopping, arquitetura colonial.
Daqui saem os barcos para Anguila, assunto para outro post.
Deste lado esta o paraíso da gastronomia francesa em Grand Case.
A comida crioula nos "lolos" é simples e saborosa. Experimente o Sky's the limit ou o Pineapple Pete. Para um jantar caprichado e sem economia vá ao La Villa ou ao Taste Vin. Comida deliciosa e visual maravilhoso.

Praias, um outro capítulo; todas lindas, com quiosques onde da para alugar cadeiras e barracas, atendimento na areia. Muito bom.

Orient Beach - uma das mais comentadas praias do Caribe, areia branquissima e protegida por corais e pelas ilhotas Green Cay, Pinel e Tintamarre.


Maho Beach
Divi Little Bay
Dawn Beach


Uma curiosidade:
A lenda que conta como foi dividida a ilha entre holandeses e franceses é a seguinte: para demarcar seus territórios um holandês e um francês combinaram de andar de um lado ao outro da ilha e onde se encontrassem seria o limite de cada país. A versão francesa diz que o holandês bebeu rum, que sendo mais forte que vinho, fez com que ele dormisse no caminho e por isso a França ficou com a parte maior. Já os holandeses dizem que o francês, que tinha bebido vinho, trapaceou e correu, daí o lado francês ter ficado maior.

Verdade ou não, visitar Sint Maarten e St. Martin é muito especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário