terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

TAHITI


TAHITI


Quer dizer: RAINHA DO PACíFICO

Longe e lindo. Para chegar ao Tahiti do Brasil, o único meio é via Santiago do Chile, Ilha de Páscoa e finalmente Papeete, pela LAN Chile. Então, para não ser tão exaustivo, recomendo uma noite em Papeete.
Sao Paulo - Santiago do Chile : 5 horas, menos 1 ou 2 horas de fuso, dependendo da época do ano, por causa do horário de verão.
Santiago do Chile - Ilha de Páscoa : mais 5 horas
Ilha de Páscoa - Papeete : mais 5 horas de vôo e mais 6 horas no relógio. Portando o fuso horário é morte certa 8 horas para frente. Corpo e mente, nessas alturas já estarão embaralhados.


IORANA - você vai ouvir isso em todos os momentos e lugares no Tahiti, e quer dizer: olá, bem vindo, oi… uma saudação simpática e espontânea.  

Os vôos internos são pela AIR TAHITI, empresa que se orgulha da pontualidade. Aviões pequenos, sem serviço de bordo e open seat. Vôos são curtinhos e seguros. Bonus : aquele azul do mar deslumbrante.


Papeete - capital da Polinésia Francesa e porta de entrada para o paraíso, feito de praias branquinhas, mar transparente, sorrisos e o onipresente perfume da TIARÉ, a flor nacional, símbolo da pureza e da beleza.
A capital é movimentada, tem o porto onde atracam os grandes navios de turismo, um comércio forte de artigos para turistas, lindas praças, um pouco de trânsito. 

Rue P. Gauguin, no centro de Papeete


Recomendo uma visita ao Mercado Central, fica bem no centro de Papeete, o prédio é muito bonito, todo de ferro. No térreo barracas de peixe e frutas de um lado, de outro artesanato em palha, conchas e madeira. Abre cedinho:  6hs e é sempre bom ir logo por causa do calor. No andar de cima : pareôs (nunca mais vou dizer canga) lindos, lojinhas de souvenires, algumas "joalherias" que vendem pérolas negras ( não comprar no mercado de jeito nenhum), camisetas etc. Barulhento e movimentado como são todos os mercados no mundo. 
Há muitas joalherias que vendem as lindas e mágicas pérolas negras: se interessar recomendo a Tahiti Pearl Market, Robert Wan, Tahia e outras.





De Papeete saem os ferries para as ilhas vizinhas, um serviço bem organizado, pontual e eficaz. Por exemplo: da pra ir passar o dia em MOOREA,
Ôponohu Bay e Cook Bay

circular pela ilha, subir ao belvedere e ver as duas baias: Cook Bay e Ôponohu Bay, passar pela Faculdade de Agricultura, almoçar num dos resorts, ou nadar com golfinhos, ou visitar a Turtle Clinic ou não fazer nada e ficar caminhando na praia; a Temae Beach é cheia de pedaços de corais e de conchas, água transparente e tem Papeete no horizonte. Moorea é chamada de Ilha Mágica e é tão pequena e simples que tem dois núcleos de comercio (MAHAREPA e LE PETIT VILLAGE) com algumas lojinhas, banco, super mercado. É relaxar, passear, se encantar.


De Papeete para Huahine o vôo da Air Tahiti ( super pontual) demora 40 minutos e faz escala em Moorea aos 7 minutos de Papeete.

HUAHINE

Quer dizer mulher gravida em tahitiano e é chamada de Jardim do Eden.
Pequena e espetacular, coberta de florestas intocadas, quase sem estrada é formada por duas ilhas : Huahine - Nui ( a grande) e Huahine - iti (a pequena), ligadas por uma ponte.


Há apenas três resorts em Huahine e umas 15 pensôes, escolhemos o TE TIARÉ BEACH RESORT.
1º Surpresa - no aeroporto um motorista nos esperava com uma plaquinha com o nome do hotel e uma relação com o nome dos hóspedes, saímos por uma estradinha sem pavimentação e muito estreita, uns 4 KM depois,
2º Surpresa - ele entra numa marina pequena e uma lancha, nos leva ao hotel, alias, único meio de chegar ao hotel.


Na recepção um taithiano nos recebe tocando uma concha, recebemos uma toalha geladinha e uma pequena flor da família das orquídeas chamada "TIARÉ", o perfume muito delicado, presente em todos os lugares.
O bangalô sobre as águas azuis e transparentes é um sonho real no Te Tiaré Beach Resort, muitíssimo bem equipado, com uma vista infinita para o mar, da para sair mergulhando do próprio bangalô que tem um deck com escadinha e chuveirão, alem de um terraço coberto e enorme.

O majestoso lustre de conchas do Arii
O restaurante Arii serve especialidades internacionais e cozinha da polinésia. Algumas noites tem música ao vivo, muito bom, descontraído. Tem também um bar que serve cockteis e almoço e fica próximo da piscina.

O hotel oferece varias atividades e passeios; escolhemos um de dia todo, numa canoa outrigger, fomos a uma Fazenda de Pérolas, que também é uma loja, um bangalô sobre a água todo coberto de conchas, numa baia muito protegida, água sempre transparente, lá eles explicam como as pérolas são cultivadas, extraídas e catalogadas. Foi interessante.

Fazenda de Pérolas

Praia do Picnic

Mergulhando com os tubarões
Em seguida fomos até um canal para fazer snorkel, profundidade e temperatura ideais. Vimos muitos corais e peixes. Um lugar com correnteza onde basta soltar o corpo e ir a deriva assistindo a natureza. Lindo.
Depois fomos contornando Huahine, vendo praias, pequenos povoados, a única ponte que liga as duas ilhas, enseadas românticas. 


Ancoramos numa prainha para o picnic. Foi sensacional, nosso comandante preparou um atum marinado ali mesmo na água do mar, limão, leite de coco extraído na hora e deu o passo a passo da receita que ficou deliciosa. Serviu outras coisas e também o onipresente abacaxi de sobremesa.



Como última parada um mergulho para alimentar tubarões, são muitos, aqueles de barbatana amarela.

De volta ao hotel ainda deu para mergulhar saindo do nosso bangalô.
Huahine mantém seu modo autêntico de viver, na despedida um colar de conchas.



BORA BORA

É chamada a ilha romântica.
Os hóspedes são recepcionados no aeroporto com  as "leys" (colar de flores), e numa lancha rápida chegamos ao hotel. Escolhemos o Sofitel Bora Bora Marara, pela localização. Na ilha perto de Vaitape, a capital.


Recepção individualizada, reservamos um bangalô com chão de vidro. Nos esperando no bangalô estavam um balde com champagne e taças, além de capcakes e macarrons e sobre a cama um pareô pintado a mão e uma t-shirt branquinha. Eles mimam os hóspedes. Tudo L'Occitane no banheiro, um luxo.


Bangalô gigante, ultra bem equipado, maravilhoso. Um super janelão em frente a cama, deck com escadinha e chuveiro, espreguiçadeiras de ratam.


O hotel está um pouco velho e vai ser remodelado este ano.
O SPA do hotel é um charme, cheiroso e muito bonitinho.


Recomendo o passeio de meio dia.




Nadar com arraias e tubarões, depois uma parada no aquário natural que é deslumbrante: água para lá de transparente, milhões de peixes, corais coloridos, ouriços negros gigantes, conchas incrustadas nos corais. Seguindo no passeio navegamos marolas imensas, vimos surfistas, próximo a entrada da lagoa. Depois ancoramos num MOTU (ilha) para aula dos muitos jeitos de amarrar o pareô, para eles e elas, e um lanche.



Noite de show tahitiano no hotel, com um grupo grande de bailarinos, bailarinas e um malabarista que fez um show com malabares em fogo. Bem bonito. Tudo ao ar livre, no deck da piscina, durante o jantar.


Indico os restaurantes:   Bloody Mary's  - tel : 67 72 86
                                            Fare Manuia - tel : 67 68 08
                                            Bora Kaina Hut - tel : 67 54 06

Bora Bora tem todos os grandes e luxuosos hotéis, os passeios e facilidades oferecidos são semelhantes. Dive, snorkel, Fazenda de Pérolas, caminhadas, passeio de bike, há também passeio de helicóptero e tour em 4x4 nas montanhas. É só escolher.


LEVAR : repelente (importantíssimo) e protetor solar, fator 40, no mínimo.
TRAZER : MONOI, produto produzido pela maceração das flores Tiaré, conhecido mundialmente por suas qualidades, trazer também pareôs e fotos.

                                                                                             MAURUURU