domingo, 22 de março de 2020

BERLIN

Por onde começar????


Oh, dúvida! Começar pelo começo.

Passear, Berlin é um passeio maravilhoso. Plana, bem sinalizada e totalmente preparada para os turistas.


O sistema de transportes é incrível, fácil, leva a todos os lugares, é rápido e eficiente.


Usamos metrô, trem urbano, ônibus e caminhamos muito; também há bicicletas para alugar e carros ecológicos que estão estacionados pelas ruas e você com um aplicativo no celular pode sair guiando sem precisar de burocracia e nem de gasolina porque são elétricos. As bicicletas são aquelas que você libera pagando pelo celular, mesmo sistema para os carros que você escolhe pelo modelo e distância do ponto em que você está, coisa de primeiríssimo mundo. Ah, também tem UBER e taxi, claro.

Bradenburger Tor ou Portão de Bradenburgo

Há muitos lugares históricos; marcados pela guerra.

Gedächtniskirche(Igreja da Memória)

Bombardeada durante a Segunda Guerra é um símbolo para lembrar a destruição causada pela guerra.


Um pedaço do muro pintado, o símbolo da paz e a palavra agora.











Para começar e ter uma ideia da cidade vá a Torre de TV, na Alexander Platz, a estrutura mais alta de Berlin, tem 348 metros e na plataforma de observação tem lojinha de souvenir, bar e um restaurante giratório.


Suba e descubra cidade, maravilhe-se com o horizonte, com os parques intermináveis, avenidas largas e se sua viagem for nos meses de verão a luz do Sol ilumina tudo ate as 22hs.








































Na praça também esta o relógio que marca a hora do mundo todo, girando... girando... nessa foto com  a nossa guia mirim, Alice Gordilho Lima.


O parlamento alemão, é visita obrigatória e é possível acompanhar as sessões, ver o movimento dos deputados, os gabinetes e do terraço avistar Berlin.
Muito interessante, sem falar da belíssima arquitetura, da organização da visita e do orgulho que a gente percebe no ar.


Ha também muitos passeios interessantes e imperdíveis pelos arredores, indico Podstam e Spandau, fácil para ir de trem, pertinho e muito bonitos. Recomendo.


Podstam


Spandau
Zitadelle
 História, povo acolhedor, transporte fácil, cultura e excelente culinária. Berlin é um destino muito especial.

Thierry Noir


Dedico esta postagem a Alice Gordilho Lima, nossa guia em Berlin. Obrigada, querida.


quarta-feira, 12 de setembro de 2018

MENDOZA


MENDOZA - Abril 2018

Não nos hospedamos em Mendoza, preferimos ficar ao sul, nas vinícolas que tem hospedagem, localizadas no Vale do Uco.

. Casa de Huespedes la Azul, muito bonito e gostoso.


Exclusivo e com poucos e espaçosos apartamentos. Um belo jardim e cafe da manhã feito especialmente sem gluten e sem lactose (intolerâncias do Zeca).
O próprio dono preparou uma carne maravilhosa para o jantar, recomendo.
Na entrada fica a vinícola que serve almoço. ficalaazul.com.ar , vamos experimentar na próxima vez.



Lindo, apenas seis apartamentos, uma piscina de sonho, vista de tirar o fôlego para a Cordilheira dos Andes, por quem voltei, absolutamente, apaixonada.


Da estradinha empoeirada ate a recepção a gente vai por uma alameda de belas oliveiras. Café da manhã gostoso, bem silencioso, suites grandes e muito confortáveis. Pena que passa rápido, e fica aquele gostinho de quero mais.


Bodegas, são tantas que a gente tem que se preparar para circular bastante. É necessário marcar as degustações e visitas.

Domaine Bousquet 


Luigi Bosca - em frente a Lagarde, bem antigona.



Lagarde - almoço num jardim debaixo de árvores imensas, comida caprichada, serviço impecável, lojinha com azeites saborosos. www.lagarde.com.ar

Salentien - almoço gostoso 


Zuccardi - a mais bonita, super moderna. Restaurante Piedra Infinita. reservas@piedrainfinita.com.ar



Bodegas Caro - marcar a noite para o show de tango. Visita, degustação e show na vinícola que sobreviveu ao grande terremoto, que destruiu quase Mendoza inteira. Fica ao lado do Restaurante 1884, o mais badalado de Mendoza, cujo chef é Francis Mallman.




Outro restaurante delicioso é o Siete Fuegos, tambem do Francis Mallman, cardápio bem interessante.































Fomos também a Chandon, um pedacinho da Provence aos pés da Cordilheira.


É nescessário alugar carro ou contratar um motorista porque as bodegas são distantes.  A sinalização é bem precária, é uma viagem aventura.


Um passeio mais ou menos próximo é Puente del Inca, subindo a Cordilheira. Formações rochosas e agua quente, lugar antigo e muito mal conservado. Só se sobrar tempo.


domingo, 29 de outubro de 2017

PANAMÁ

Cidade do Panamá

De surpresa, lá fomos nós para Cidade do Panamá.

Voamos Copa Airlines de Miami, vôo tranquilo e rápido.
O aeroporto é bem equipado e não muito longe da cidade, mas o transito é terrível.



De cara o bairro dos hotéis e bancos parece um pouco com o Aterro do Flamengo, sim os prédios são novos, altíssimos e o contraste com a frota de veículos é incrível.
Os ônibus são aqueles antigos ônibus escolares dos Estados Unidos, bem velhinhos, sem ar condicionando e o calor é de matar. Hoje são usados não só para transporte público mas também como ônibus balada.


Temperatura média em Outubro: 34 graus Celsius e úmido pra xuxu.

Passear no Casco Antiguo, é voltar no tempo, esse pedacinho da cidade está situado numa península, suas ruas são estreitinhas, o calçamento feito de pedras e há muitos monumentos históricos.
 



Visitar: Igreja de San Jose (altar de ouro), Catedral Metropolitana, Teatro Nacional. Ou simplesmente passear olhando os prédios restaurados.



Há casinos e bons restaurantes, grandes hotéis e o maravilhoso BIO MUSEO, inaugurado em Outubro de 2014. Localizado num parque enorme e muito bem cuidado, de frente para a baia do Panama, ele é uma aula interessante sobre a biodiversidade na região.  Projeto do arquiteto Frank Gehry, o primeiro na America Latina,  um emaranhado metálico e colorido de formas geométricas superpostas.



Claro, também tem a eclusa do Canal do Panamá que sozinha já justifica a viagem.



Sugiro contratar um taxi, com guia, no hotel para ir até a eclusa. Ver os navios passando no CANAL DO PANAMÁ nos dá uma idéia da grandeza desse projeto, há um museu explicando a construção com fotos, réplicas das máquinas, documentos históricos e alguns videos. Achei muito interessante.




Gosta de aventura? então, vá almoçar no Mercado de Peixe. Muitas barraquinhas (pequenos restaurantes de peixes e frutos do mar) servindo ceviche, peixe frito, cerveja; num misto de algazarra, desordem e perfumes locais. É divertido, se voce não se importar com a simplicidade do lugar.



Para jantar há lindos e exclusivos restaurantes com cardápio assinado por chefs renomados, cozinha local e internacional, carta de vinhos bem apropriada, belas sobremesas e um maravilhoso espresso.

Indico estes restaurantes:

TANTALO - um bar para a hora do almoço, num prédio lindo no Casco Antiguo. Para comer saladas ou hambúrgueres, simples, com atendimento lento e simpático.



TEJAS - no Trump Internacional, comida asiática. Repare no lustre do bar, feito com milhares de casulos de bicho da seda.
O restaurante da cobertura do hotel, dizem que tem uma vista privilegiada, mas estava fechado.

SEGUNDO MUELLE - descontraído, bom para ir num grupo, comida boa e um pouco barulhento.

8 e MEDIO - comida deliciosa, atendimento nota 10 e uma área externa linda. Lugar super agradável no Casco Antiguo.





CALIOPE - outro restaurante especial no Casco Viejo, recomendo fazer reserva.
                                           


Tomate de Arbol

Compras também fazem parte do passeio, há grandes shoppings com lojas de todos os preços. Para mim o melhor é o novíssimo SOHO Mall, com todas as grifes e também uma Ladure muito linda.



Gostei demais da NINA Concept Store, ao lado do shopping, uma loja bacana, um lugar para tomar um brunch nos finais de semana, com milhares de itens para presente, bem diferentes. Tem brinquedos, uma pequena livraria, papelaria diferenciada, jóias, um pouco de tudo com uma curadoria sensacional. Vale a visita, sem pressa pra curtir tudo.